Páginas

Pesquisar este blog

EI VOCÊ VENHA SEGUIR TAMBÉM!

quinta-feira, 9 de julho de 2009

DEUS NUNCA FOI JEOVÁ




Estamos acostumados a ouvir, principalmente em hinos que o nome de Deus é Jeová. As nossas traduções bíblicas às vezes também traz em alguns lugares esta grafia para o nome de Deus (cf. Sl. 83:18), e isso tem causado muita confusão e levado muitos chamar Deus por um nome que não é dEle, como se chamássemos Roberto de Francisco. E qual é o nome de Deus então?



IHWH (יהוה) (Ex. 6:3). Este é o nome que mais vezes aparece na Bíblia aplicado a Deus (6.828 vezes na Bíblia Hebraica de Kittel e na Bíblia Hebraica Stuttgartensia). O hebraico bíblico do A.T. é composto apenas de consoantes não tendo vogais, e YHWH são as letras hebraicas que compõem o nome pessoal de Deus no A.T. Temendo descumprir o terceiro mandamento: “Não tomarás o nome do Senhor (YHWH), teu Deus em vão” (Ex. 20:7), os leitores antigos da Bíblia evitavam pronunciá-lo, substituindo o mesmo na leitura pala palavra Adonay (Senhor). Os sinais vocálicos da palavra Adonai eram colocados entre as consoantes que representavam o nome divino: YHWH. Com esta prática a pronúncia do nome de Deus se perdeu. Os eruditos bíblicos hoje, em sua maioria, usam a palavra Iahweh (Javé), e dando a razão histórica para isso diz a Comissão de Tradução, Revisão e Consulta da Sociedade Bíblica do Brasil:

"Teodoreto, pai da igreja, da escola de Antioquia, falecido em 457 d. C. afirma que os samaritanos, que tinham o Pentateuco em comum com os judeus como Escrituras Sagradas, pronunciavam o nome o nome de Deus assim: Iabé (trocando o V pelo B). Clemente, da escola de Alexandria, falecido antes de 216 d.C. transliterava “a palavra de quatro letras” por Iaové. Também os papiros mágicos egípcios, que são do final do terceiro século d.C., dão como cera a pronúncia cima referida, a de Teodoreto (Iabé)".
[1]

Assim, mesmo com a incerteza que há para a pronúncia deste nome, o que se pode afirmar com segurança é que Jeová nunca foi a transliteração ou tradução do nome de Deus (YHWH) no A.T., esta palavra é uma invenção da Idade Média. Portanto, o grupo religioso chamado “Testemunhas de Jeová” é fundamentado sobre um nome falso, nome que não aparece nas Escrituras Sagradas
[2]. Sobre esta palavra Jeová, diz a Comissão de Tradução, Revisão e Consulta:

"Esse (Jeová) não é, portanto, o nome do Deus de Israel. O Jerome Biblical Comentary chama “Jeová” de um “não-nome” (77:11), e o Interpreter’s Dictionary of the Bible o chama de “nome artificial”(s.v Jehovah). O Lexicon in Veteris Testamenti Libros, de Kochler – Baumgartner (s.v YHWH), chama a grafia “Jeová” de “errada”, e defende como “correta e original’ a pronúncia “Yahweh”".
[3]



Portanto, as Escrituras não aprovam transliteração Jeová, os judeus nunca pronunciaram esse nome, e a história nos mostra que a pronúncia mais provável seria Iahweh (Javé). Não sendo esta a forma, Jeová está completamente fora de cogitação. [4]



NOTAS

_______________
[1] “O Termo “Jeová” na Bíblia Sagrada” em A Bíblia no Brasil (São Paulo: Sociedade Bíblica do Brasil, n° 188, (Jul/Set. 2000), p. 24. Vd. tb. TREGELLES, Samuel Prideaux, Geseniu’s Hebrew and Chaldee Lexicon (Grand Rapids: Eerdmans, 1954), p. 337.



[2] Os próprios livros das Testemunhas de Jeová reconhecem que a palavra Jeová não é o nome de Deus que aparece na bíblia. “O hebraico era escrito sem vogais. Assim, não existe maneira de saber com exatidão como Moisés, Davi ou outros dos tempos antigos pronunciavam as quatro consoantes... que constituem o nome divino. Alguns eruditos sugerem que o nome de Deus possa ter sido pronunciado “Javé” ou “Iavé”, mas eles não podem ter certeza. A pronúncia portuguesa “Jeová” ou “Jehovah” já é usada há séculos, e o equivalente em muitos idiomas amplamente aceito hoje” (Conhecimento Que Conduz a Vida Eterna. São Paulo: Sociedade Torre de Vigia de Bíblia e Tratados, 1986), p. 24. Observe que o argumento usado por eles para usar o nome Jeová, é porque este é um nome muito aceito no mundo, e não porque está ele baseado nas Escrituras, nem na língua hebraica.



[3]O Termo “Jeová” na Bíblia Sagrada”. p.23.


[4] Para uma lista de livros que desaprovam a grafia Jeová vd.: SILVA, Ezequias Soares. Como Responder as Testemunhas de Jeová. 3ª ed. (São Paulo: Candeia, 1995). pp. 148-150. E Ralph L Smith nos informa que a pronúncia Jeová nunca foi usada pelos judeus. Teologia do Antigo Testamento (São Paulo: Vida Nova, 2001), p p. 115. Confira também o que diz sobre o caso a Enciclopédia Judaica em: <http://www.jewishencyclopedia.com/view.jsp?artid=52&letter=N > e <http://www.jewishencyclopedia.com/view.jsp?artid=206&letter=J&search=jehovah > Acesso em 10/03/08.

4 comentários:

Fernando Jorge Baptista A. disse...

O título "Deus nunca foi Jeová" é tão correcto como outro que sugiro "o Filho de Deus nunca foi Jesus", isto porque a pronuncia em grego é diferente, deveria ser algo como Iesoús. E já agora Jeremias teria de ser mudado para Yermeyáh, e uma infinidade de outros nomes teriam de ser alterados. Na tradução e na adaptação à nossa lingua são perdidos aspectos fonéticos da lingua original, mas o essencial é transmitir a identidade do verdadeiro Deus. No Grego sabemos que a abreviatura deste nome é Jah da expressão "aleluia" ou "louvai a Jah" (Apoc.19:6)portanto não estamos assim muito longe da forma correcta.
Esta discussão é semelhante a eu chegar a um Inglês e lhe dizia que não há nenhum livro da Bíblia chamado "James", ele dizia-me que eu era maluco porque também não há nenhum livro chamado "Tiago", na realidade são duas formas completamente diferentes de chamar o mesmo homem, o discípulo Tiago, mas as duas palavras são igualmente válidas para transmitir a ideia do verdadeiro Tiago.
A verdadeira discussão está a outro nível, será que Deus deseja que o tratemos pelo seu nome (com o devido respeito) ou as tradições judaicas estarão certas e o nome de Deus é tão sagrado que nem deve ser mencionado?
Deixo só duas dicas: 1- Êxodo 9:16 Deus deseja que mesmo em face a inimigos como eram os egípcios, Deus deseja que seu nome seja anunciado a toda a terra.
2- Actos 2:21 citado de Joel 2:32 (onde está o tetragrama) "Todo o que invocar o nome de Deus será salvo". Um abraço. Jorge.

pp disse...

Quando se analisa diferentes linhas de evidencias, consegue-se chegar a uma conclusão, ou não.Depende muirtas vezes da nossa humildade de aceitar o que concluimos com mais logica.
Agora, seguirmos a que nos mais pode interessar intelectualmente, podemos comenter erros que facilmente nos podem fazer cair no ridiculo.

1 abraço

João Manuel disse...

O títilo "Deus nunca foi Jeová" é muito ousado... dá a ideia de que Deus é não tem um nome pessoal, tomando-se um posição alegadamente líquida nesse assunto, qdo não existe concesso qto à exactidão da pronúncia do nome de Deus. O que é essencial, isso sim, é que Deus não é um nome pessoal ou próprio e que Deus tem um nome, embora, não se conheça a exactidão da pronuncia, mas sabe-se que não é "SEnhor"(adonai) ou "Jesus" e que as TJ têm razão qdo dizem que no Hebaico o nome que é, em algumas versões da Bíblia, traduzido por Jeová ou Javé aparece quase sete mil vezes na Bília como um nome próprio, distinto e pessoal de Deus.

JOELSON GOMES disse...

Caríssimos Fernando e João, o artigo não discute se Deus tem um nome ou não, mas sim mostra que o nome que mais designa Deus no AT é o Tetragrama YHWH, ache-se a pronuncia do mesmo e terá o nome de Deus, se achar mas inventando um nome (Jeová), é chamar Roberto de Francisco. Abraços e obg pelos comentarios.

NÃO PARE AQUI VÁ PARA OS TEXTOS MAIS ANTIGOS.