EI VOCÊ VENHA SEGUIR TAMBÉM!

PARA ACHAR UM ASSUNTO ESCREVA A PALAVRA AQUI

Carregando...

segunda-feira, 13 de junho de 2016

NOAM CHOMSKY E AS 10 ESTRATÉGIAS DE MANIPULAÇÃO MIDIÁTICA

Por Noam Chomsky 
Instituto João Goulart


1- A ESTRATÉGIA DA DISTRAÇÃO.

 
O elemento primordial do controle social é a estratégia da distração que consiste em desviar a atenção do público dos problemas importantes e das mudanças decididas pelas elites políticas e econômicas, mediante a técnica do dilúvio ou inundações de contínuas distrações e de informações insignificantes. A estratégia da distração é igualmente indispensável para impedir ao público de interessar-se pelos conhecimentos essenciais, na área da ciência, da economia, da psicologia, da neurobiologia e da cibernética. “Manter a atenção do público distraída, longe dos verdadeiros problemas sociais, cativada por temas sem importância real. Manter o público ocupado, ocupado, ocupado, sem nenhum tempo para pensar; de volta à granja como os outros animais (citação do texto 'Armas silenciosas para guerras tranqüilas')”.

 
2- CRIAR PROBLEMAS, DEPOIS OFERECER SOLUÇÕES.

Este método também é chamado “problema-reação-solução”. Cria-se um problema, uma “situação” prevista para causar certa reação no público, a fim de que este seja o mandante das medidas que se deseja fazer aceitar. Por exemplo: deixar que se desenvolva ou se intensifique a violência urbana, ou organizar atentados sangrentos, a fim de que o público seja o mandante de leis de segurança e políticas em prejuízo da liberdade. Ou também: criar uma crise econômica para fazer aceitar como um mal necessário o retrocesso dos direitos sociais e o desmantelamento dos serviços públicos.

 
3- A ESTRATÉGIA DA GRADAÇÃO.

Para fazer com que se aceite uma medida inaceitável, basta aplicá-la gradativamente, a conta-gotas, por anos consecutivos. É dessa maneira que condições socioeconômicas radicalmente novas (neoliberalismo) foram impostas durante as décadas de 1980 e 1990: Estado mínimo, privatizações, precariedade, flexibilidade, desemprego em massa, salários que já não asseguram ingressos decentes, tantas mudanças que haveriam provocado uma revolução se tivessem sido aplicadas de uma só vez.

 
4- A ESTRATÉGIA DO DEFERIDO.

Outra maneira de se fazer aceitar uma decisão impopular é a de apresentá-la como sendo “dolorosa e necessária”, obtendo a aceitação pública, no momento, para uma aplicação futura. É mais fácil aceitar um sacrifício futuro do que um sacrifício imediato. Primeiro, porque o esforço não é empregado imediatamente. Em seguida, porque o público, a massa, tem sempre a tendência a esperar ingenuamente que “tudo irá melhorar amanhã” e que o sacrifício exigido poderá ser evitado. Isto dá mais tempo ao público para acostumar-se com a ideia de mudança e de aceitá-la com resignação quando chegue o momento.

 
5- DIRIGIR-SE AO PÚBLICO COMO CRIANÇAS DE BAIXA IDADE.

A maioria da publicidade dirigida ao grande público utiliza discurso, argumentos, personagens e entonação particularmente infantis, muitas vezes próximos à debilidade, como se o espectador fosse um menino de baixa idade ou um deficiente mental. Quanto mais se intente buscar enganar ao espectador, mais se tende a adotar um tom infantilizante. Por quê? “Se você se dirige a uma pessoa como se ela tivesse a idade de 12 anos ou menos, então, em razão da sugestão, ela tenderá, com certa probabilidade, a uma resposta ou reação também desprovida de um sentido crítico como a de uma pessoa de 12 anos ou menos de idade (ver “Armas silenciosas para guerras tranquilas”)”.

 
6- UTILIZAR O ASPECTO EMOCIONAL MUITO MAIS DO QUE A REFLEXÃO.

Fazer uso do aspecto emocional é uma técnica clássica para causar um curto circuito na análise racional, e por fim ao sentido critico dos indivíduos. Além do mais, a utilização do registro emocional permite abrir a porta de acesso ao inconsciente para implantar ou enxertar idéias, desejos, medos e temores, compulsões, ou induzir comportamentos…

 
7- MANTER O PÚBLICO NA IGNORÂNCIA E NA MEDIOCRIDADE.

Fazer com que o público seja incapaz de compreender as tecnologias e os métodos utilizados para seu controle e sua escravidão. “A qualidade da educação dada às classes sociais inferiores deve ser a mais pobre e medíocre possível, de forma que a distância da ignorância que paira entre as classes inferiores às classes sociais superiores seja e permaneça impossível para o alcance das classes inferiores (ver ‘Armas silenciosas para guerras tranqüilas’)”.

 
8- ESTIMULAR O PÚBLICO A SER COMPLACENTE NA MEDIOCRIDADE.

Promover ao público a achar que é moda o fato de ser estúpido, vulgar e inculto…

9- REFORÇAR A REVOLTA PELA AUTOCULPABILIDADE.

Fazer o indivíduo acreditar que é somente ele o culpado pela sua própria desgraça, por causa da insuficiência de sua inteligência, de suas capacidades, ou de seus esforços. Assim, ao invés de rebelar-se contra o sistema econômico, o individuo se auto-desvalida e culpa-se, o que gera um estado depressivo do qual um dos seus efeitos é a inibição da sua ação. E, sem ação, não há revolução!
 
10- CONHECER MELHOR OS INDIVÍDUOS DO QUE ELES MESMOS SE CONHECEM.

No transcorrer dos últimos 50 anos, os avanços acelerados da ciência têm gerado crescente brecha entre os conhecimentos do público e aquelas possuídas e utilizadas pelas elites dominantes. Graças à biologia, à neurobiologia e à psicologia aplicada, o “sistema” tem desfrutado de um conhecimento avançado do ser humano, tanto de forma física como psicologicamente. O sistema tem conseguido conhecer melhor o indivíduo comum do que ele mesmo conhece a si mesmo. Isto significa que, na maioria dos casos, o sistema exerce um controle maior e um grande poder sobre os indivíduos do que os indivíduos a si mesmos.

sexta-feira, 27 de maio de 2016

O ESTUPRO NO RIO DE JANEIRO - O MUNDO ESTÁ NO MALIGNO,MAS TEM GENTE QUE ESTÁ EM MARTE

Poposuda ensina "boas maneiras" as criancinhas no baile
Por Joelson Gomes 


“O mundo jaz no Maligno” (1Jo 5.19).


Virou comoção nacional o estupro sofrido por uma jovem no Rio de Janeiro dias atrás. Aonde você vai tem gente falando no assunto, em todas as mídias. E tem que falar mesmo, o problema não é falar, mas o jeito. Os comentários que ouvi ontem na Globo News e hoje na Jove Pan são de uma  pobreza fransciscana. Além de pobres são injustos, pois as pessoas que falam parece viver no céu, ou em outro planeta. Estas pessoas dos meios de comunicação falam chocados como se para eles isso fosse uma coisa de outro mundo e não acontecesse de monte nesse país. As festinhas de jovens e adolescentes regadas a drogas estão cheias de surubas. Ah, mas tem um porém, um dos faladores chegou a dizer que este estupro era uma coisa horrível, ela não queria, pois, quando a menina quer tudo bem (ela tem 16 anos), mas ela não quis. Ou seja, na cabeça deste moço se fosse consentido ela se oferecer para os 30 (que ninguém sabe se foram 30, pois ela diz que não viu nada, só sabe que acordou numa casa com 30 homens com ela) seria normal. Onde chegamos. Mas, isso mostra como anda a cabeça dos “intelectuais” estudados e evoluídos desta bagaça. Quando o sujeito perde o senso do certo e do errado (pois no dicionários desse povo não existe isso) está sujeito a dizer estes disparates e a fazer esse papel que estão fazendo. Senão veja se essa gente tem porque e indignar.
MC Mellody inocente


  • Em um país onde as crianças são erotizadas desde cedo, incentivadas a terem comportamento de adultos, e isso na área de relacionamentos e sexual (criancinhas incentivadas a namorar, beijar na boca, a chamar de “gostoso” e “gostosa” o sexo oposto no sentido sexual, a ser sensual nos trejeitos (danças) e nas roupas) pode se chocar com esse acontecido? 
  • Um país onde as musicas que as crianças são expostas tem letras como:

A novinha não me quer / Só porque eu vim da roça / Roça, roça o piru nela / Que ela gosta” (MC Briquedo, 13 anos).

"E te confesso que um beijo já me desperta o desejo" (MC Melody, 08 anos).

Essa novinha é profissional, ela senta gostoso demais"  (MC Pikachu, 16 anos).

Além dos lixos acima tem as letras tipicamente machistas onde a mulher é uma cachorra e o homem deve tirar onda mesmo, pintar e bordar com ela (ah, e elas gostam disso, pois o publico maior de baile funk é de meninas de microsshorts que vão para beber e fazer sexo com os homens, isso já foi matéria de jornal e documentário de TV). Você se choca com o acontecido.


Crianças "brincando" no inofensivo funk
  • Em um país onde as novelas e filmes tem seu conteúdo central a insinuação sexual, e o sexo propriamente dito, isso acontecendo todos os dias e horas nos canais de TV e internet. Você se choca com o acontecido?
  • Em um país onde são promovidas marchas de maconha onde pessoas saem as ruas se drogando (a menina era usuária e namorava um cara envolvido com o tráfico e que é o acusado de ser o mentor do crime) a céu aberto com a complacência da mídia que apoia (muitos “artistas” estão até no meio) e fala a favor. Você se choca com o acontecido?
  • Em um país que distribui camisinhas para o sexo livre em escolas de ensino médio, e elabora cartilhas ensinando as crianças a praticarem sexo com o mesmo sexo, e diz que isso é normal. Você se choca com o acontecido?
  • Em um país onde tem um evento patrocinado pelo Governo Federal que coloca nas ruas, diante de crianças de todas as idades, homens e mulheres em roupas minúsculas (alguns pelados mesmo) se esfregando, se beijando, e insinuando sexo (Parada Gay), você se choca com o acontecido?

Cena boba da Parada Gay
Se a sua resposta for sim, sinto lhe informar que você precisa descer de marte, sair do mundo Disney. Tudo que fazemos é influenciado pelo que vemos e ouvimos, esses sentidos os modelam. Por isso que a Bíblia diz: “as conversas erradas nos corrompem” (1Co 15.33). Todo mundo exposto a seus mais monstruosos sentimentos diariamente anos a fio um dia vão dar vazão a seus mais monstruosos sentimentos. Somos pecadores não por imitação, mas por natureza (Rm 3.23); nascemos assim, não pecamos por imitação (Rm 7. 15-23), pecamos porque somos pecadores. Uns seguram a onda e outros não, ainda mais no ambiente em muitos vivem onde essas coisas viram normais, tão normais que gravam e colocam nas redes sociais. Será que você não entende esse sinal?

Caixa de camisinha para a escola, apoio Governo Federal
Vou fazer uma analogia imperfeita: se um alcoólatra inveterado, bombardeado diariamente por todos os meios de comunicação com propaganda das mais belas bebidas, um dia perdesse as estribeiras, entrasse em um bar, pegasse umas 30 garrafas de bebida e desse umas bordoadas no dono, quem se chocaria? Ou quando um criminoso sai da cadeia brasileira pior do que entrou quem se choca? Não, todos dizem, ele estava lá exposto a isso todo dia, ali é a faculdade do crime, seu ambiente era de crime, então ele pratica crimes. Porque no caso do criminoso vale a comparação e a influencia do ambiente, e no caso desta sexualidade precoce que assola nosso país com crimes desse tipo, gravidez adolescente, e abortos crescendo a olhos vistos não vale?

Educação infantil nas novelas
Senhores, todos tentam tapar o sol com a peneira, mas o problema não é educacional, se fosse já teria sido resolvido, o problema é essencial, é a rachadura essencial do ser humano sem Deus. O problema não é outro senão o pecado. Mas, isso justifica o acontecido? É claro que não, mas explica, e como explica. “Ora, isso é coisa de religioso, nós somos evoluídos, não somos como vocês cristãos atrasados. Vivemos procurando achar um jeito, uma explicação nas mais variadas fontes para esse mal, não achamos ainda mas ...”. 

Pois é, falem sobre o crime bárbaro cometido contra a moça no Rio, prendam e condenem os responsáveis, mas, preparem-se, enquanto pensarem assim vem mais estupros coletivos por aí. 

Pobres das meninas sem pais, mães ou mestres, nessa republica das bananas.

quarta-feira, 25 de maio de 2016

PORQUE BRIGAM TANTO PELA LEI ROUANET?

Todo mundo está vendo uma turma de bagunceiros chamados de artistas invadindo salas de cultura no país em defesa do tal Ministério da Cultura que o presidente em exercício acabou, mas depois com medo voltou atrás. A pergunta: porque essa galera está batendo lata pelo Ministério da Cultura? Ratinho explica, assista ao vídeo e entenda a "cultura" que essa turma de desocupado está defendendo.

terça-feira, 24 de maio de 2016

EM QUAL MALAFAIA VOCÊ ACREDITA? (Bizarrices gospel 114).

 Você acredita nesse Malafaia?

 



ou você acredita nesse Malafaia? Decida porque a coisa está difícil.


segunda-feira, 23 de maio de 2016

AGENOR DUQUE, UM NEÓFITO NO UNIVERSO NEOPENTECOSTAL (Bizarrices gospel 113)

apostoloPor Paulo Siqueira
Estrangeira no Mundo



As Sagradas Escrituras trazem como referência que o líder:“não seja neófito, para não suceder que se ensoberbeça e incorra na condenação do diabo” (1Tm 3.6). Essa é mais uma qualificação que Paulo apresenta na lista de Timóteo para ser um bom servo de Deus. Fica claro que o líder de igreja deve ser alguém relativamente maduro na fé.

Literalmente, neófito significa “recentemente plantado”, como uma árvore verde; recém-convertido (alguém que tenha recentemente se tornado um cristão). Alguém que tem tamanha responsabilidade como a de administrar uma igreja e um povo não pode ser imaturo tanto na fé como na vida cotidiana.

Outro conselho de Paulo, o Apóstolo, a Timóteo foi: “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro  que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a Palavra da verdade”. (2 Tm 2.15)

Agenor Duque e esposa "ungem" vinho da Santa Ceia para ele ter mais poder (só o sangue de Jesus é pouco)
Agenor Duque e esposa “ungem” vinho da Santa Ceia para ele ter mais poder (só o sangue de Jesus é pouco)
Agenor Duque poderia ser mais um pregador no cenário neopentecostal brasileiro, pois vem de uma linha costumeira. Suas referências são Valdemiro Santiago, Edir Macedo, Estevam Hernandes, Silas Malafaia, Renê Terra Nova, Benny Hinn, Jerônimo Onofre da Silveira e outros. Agenor aprendeu um pouco com cada um deles, porém todos, de uma forma ou de outra, influenciaram sua forma de ser e agir. Sua igreja ganhou notoriedade diante das extravagâncias litúrgicas e teológicas. Agenor pegou o que os outros já faziam e transformou em um festival místico, gnóstico, mágico. Não há impossíveis, tudo é possível, pois ele é o representante de Deus, onde uma simples oração se transforma em um festival fenomenológico. Seus cultos são um desafio ao discernimento entre o Sagrado, o profano e o circo. É muito grito, muito entusiasmo, muito deus, porém poucas referências à tradição e fundamentos genuinamente cristãos.

Agenor se diz formado em teologia, porém pouco usa as Sagradas Escrituras dentro do referencial teológico. Sua liturgia é nada cristã. A Igreja Apostólica Plenitude do Trono de Deus se diferencia até mesmo das igrejas neopentecostais tradicionais.

O distanciamento bíblico parte do princípio da sua nomeação como apóstolo. Assim como outros, ele insiste em se intitular apóstolo.

Recentemente ganhou bastante notoriedade no cenário nacional por um vídeo viral onde amaldiçoava seus desafetos, declarando-se poderoso, com poderes vindos do alto, pois é homem de Deus. São muitos os vídeos vazados nas redes sociais onde o que se vê são ações em inconformidade com as Sagradas Escrituras. Inconformidades tantas, que fica difícil encontrar um elo entre as tradições cristãs e as práticas de Agenor e sua igreja.


Ouso chamar a Igreja Plenitude, o Agenor e seus fieis de uma comunidade de interesses, onde cada um está ali com propósitos totalmente definidos. Nesse emaranhado de inconformidades está o uso da hipnose como prática de libertação das pessoas de vícios e curas em geral. Enfim, tudo é cercado de extrema excentricidade. Tudo é feito para despertar e chamar a atenção, pois os recursos midiáticos são as principais formas de propagação e atração de novos membros. Não importa se os testemunhos deixem certas dúvidas ou interrogações. O importante é que todos saibam que ali há poder.

Seguindo as lógicas neopentecostais, o sucesso, o poder e a prosperidade são o foco. Para isso é preciso conquistar, tomar posse, passar por cima, ser cabeça. Para chegar a tudo isso, constantes desafios financeiros são colocados diante dos fieis. Desafios diários e corriqueiros, uma comunidade onde tudo tem seu preço e tudo é conquistado pela fé através do desprendimento financeiro. Ir a um lugar como esse de bolso vazio é uma grande ofensa, diz Agenor. Exemplificando isso temos o episódio onde sua esposa se assenta em um trono e os fieis formam filas para tocar seus pés para serem abençoados. Mas é preciso depositar certa quantia em dinheiro. No vídeo essa encenação é mostrada, e no áudio se percebe o povo sendo orientado a ser rápido em depositar o dinheiro e sair. Esse vídeo vazou nas redes sociais, mas logo foi bloqueado pela liderança da igreja.


Outro episódio marcante foi Agenor sendo surpreendido em um estacionamento com um carro importado de marca famosa. O vídeo também caiu nas redes sociais e logo Agenor teve que se justificar, dizendo que o carro era emprestado. Sem contar a infinidade de vídeos onde Agenor demonstra sua prosperidade em voos em avião particular em inúmeras viagens à Israel. Fico a me perguntar o por quê de tantos vídeos. A resposta é simples: é preciso usar as mídias para expandir a comunidade de interesses. Sem contar a matéria da Revista Época, levantando o tapete sobre o ministério Plenitude e Agenor.


Iniciei esse artigo definindo a palavra neófito, pois só é possível entender os porquês de tudo se aplicarmos a Agenor a classificação de neófito, afinal seu comportamento é o de um menino.
Não basta ser apóstolo. Tem que ser rei. Rei Momo Gospel.
Não basta ser apóstolo. Tem que ser rei. Rei Momo Gospel.
Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino (1 Co 13.11).

Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente (Ef. 4.14).


O perigo da liderança de um neófito é que isso pode lhe “subir à cabeça”. Ele pode ficar inchado e o resultado seria que ele cairia em muitas condenações do diabo. Sem contar o enorme orgulho, um pecado terrível para uma liderança. Tanto o orgulho como a arrogância transformam anjos em demônios.  A arrogância cega, pois se transforma em vaidades e ganância. Sem modéstia alguma, Agenor e seus pais na fé não escondem os frutos dos seus ministérios. E parecem influenciar a todos os seus seguidores a buscar os mesmo frutos, e claro que isso tem um custo alto.

Outro ponto ignorado por Agenor e os demais líderes do universo neopentecostal é o fato de que a ênfase na doutrina dos verdadeiros apóstolos de Cristo repousa nas Sagradas Escrituras, tanto que em Atos 2 se enfatiza que todos seguiam as doutrinas dos apóstolos e são descritos os seus feitos.

Esquecem-se que em Gálatas 1.8 Paulo diz: Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema”.

Ou seja, só é possivel entender as meninices de Agenor se levarmos em conta que estamos diante de um neófito, de alguém que deveria estar ainda aprendendo. Quem sabe assim tudo seria diferente.
maxresdefault (1)As sandices e bizarrices são frutos da irresponsabilidade de um líder que optou pela excentricidade, porém se esqueceu de que com as Sagradas Escrituras não se brinca. Por que afirmo que Agenor é um menino na fé? Pois se as extravagâncias da Plenitude não forem meninice, só podem ser falta de um cárater genuinamente cristão, no qual os Frutos do Espírito Santo seriam derivados das Sagradas Escrituras. Um líder que se entitula apóstolo e não usa a Bíblia como sua referência essencial tem algo errado. E quando usa a Bíblia, a utiliza de forma exegética e hermeneuticamente equivocada com a história e as tradições realmente cristãs.

Procura, isto sim, apresentar-te aprovado diante de Deus, como obreiro que não tem do que se envergonhar e que maneja corretamente a Palavra da verdade ( 2 Tm 2.15).

Chamo de irresponsabilidade os atos de Agenor, pois só um néscio (sem instrução, sem discernimento, sem sentido, sem coerência, sem competência, ignorante, estúpido, incapaz, inepto, bronco, lerdo, arrogante) para brincar com as coisas de Deus.

O temor do Senhor é o princípio da sabedoria; e o conhecimento do Santo é o entendimento (Pv 9.10).

Para entender tudo isso tenho acompanhado os cultos e eventos do Agenor e da Plenitude. Não é fácil, pois é um segmento muito distante da tradição evangélica brasileira. Espero que o Espírito Santo possa agir trazendo arrependimento e transformação.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
NÃO PARE AQUI VÁ PARA OS TEXTOS MAIS ANTIGOS.