VISITE OS BLOGS DESSE PESSOAL, DIVULGUE E VENHA SEGUIR TAMBÉM

PARA ACHAR UM ASSUNTO ESCREVA A PALAVRA AQUI

Carregando...

quarta-feira, 4 de março de 2015

POR UMA NOVA DANÇA

 Por Carol Gualberto


Parece que foi ontem. A dança chegando tímida ao espaço eclesial, procurando um cantinho nos púlpitos das igrejas, mas, antes de tudo, buscando um lugar no corpo de cada cristão que se arriscava a assumi-la em contexto tão “puritano”. Os anos voaram e vivemos um outro extremo: púlpitos-palcos, inúmeros ministérios de dança com uma enorme quantidade de participantes que se atrevem a se apropriar dessa arte e criar uma “teologia” à parte, feita de modismos e bizarrices.

Quem me conhece, sabe da minha posição contrária ao rumo da dança dentro da igreja evangélica. A confusão doutrinária, teológica, litúrgica, espiritual que vivemos hoje “colaborou” para que surgisse e se fortalecesse esse “movimento” de reivindicação do lugar da dança na Igreja e da criação de conceitos em dança, sem fundamentação bíblica. Deixo claro que não quero uniformizar um pensamento; nunca foi meu objetivo nem acredito nisso. Porém, não compactuo com a baderna no mau uso de textos bíblicos e o “achômetro” de alguns.

O mais importante aqui, entretanto, é ressaltar que, até pouco tempo atrás, essa reflexão seria direcionada apenas aos que participam dos ministérios de dança. Hoje, com o “boom” do gueto gospel, dirijo-me a todos nós, plateia e -- por que não? -- consumidores, uma vez que escolhemos e adquirimos produtos artísticos.

Muitos de nós têm deslumbrado-se com essa “onda da dança” e engolido espetáculos, apresentações, DVDs, oficinas etc. sem o exercício da avaliação a partir do crivo do evangelho. Com o surgimento de grupos de destaque, que têm infraestrutura e elenco com boa técnica, a coisa piora! Acostumados a ver uma dança “mais ou menos” feita em nome de Deus e a não questioná-la, nem hesitamos em consumir quando há produção e bons bailarinos. O critério não pode ser “tem boa técnica versus não dança bem”. O grande problema é o que está por trás da “dança da igreja evangélica”. Minha questão aqui é mais teológica e bíblica do que qualquer outra coisa.

Estamos distantes do evangelho de Cristo, inclusive a dança que produzimos. Isso se revela na sua falta de relevância e na “teologia da dança”, criada a partir das loucuras em nome de Deus e de um mercado gospel que, à medida que o consumimos, nos consome também. Não sou contra a dança entre os cristãos evangélicos, mas estou cansada da “dança dos cristãos evangélicos”.

Qual é a fundamentação da “dança gospel”? Por que e para quê uma “dança gospel”? Nosso Cristo viveu “no” mundo, sem ser “do” mundo. Nosso Mestre era parte do povo dele, confundia-se com ele e, dessa forma, tornava sua mensagem ainda mais relevante. Bastaria sermos, portanto, de fato e em tudo, cristãos, e nossa dança, como consequência da nossa liturgia diária, seria coerente com o evangelho. Seria bonita de se ver, forte contra o sistema “do” mundo, e -- por que não? -- necessária e fundamental para o pleno estabelecimento do reino. Sejamos criteriosos, em nome de Cristo, por uma nova dança, por um movimento novo.

________________________
 
Carol Gualberto é coreógrafa da UFMG e membro da Comunidade Presbiteriana Central em Belo Horizonte, MG, é cantora e tem três cds gravados cujas capas ilustram este texto.

terça-feira, 3 de março de 2015

UM FILME QUE VOCÊ PRECISA ASSISTIR: Selma: Uma Luta pela Igualdade

Assista e conheça um pouco da história do Pastor e líder negro Martyn Luther King.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

"PREGAÇÃO" MODERNA




Venha ser feliz
É a ladainha
Sofrer mais nunquinha
O enganador diz
Filial ou matriz
É essa a cantiga
E ainda há quem diga
Que a coisa é de Deus
Só se for os seus 
Mas não o da Bíblia

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

A TEOLOGIA DA PROSPERIDADE PERDE MYLES MUNROE

*Publicado em Genizah

O mundialmente conhecido escritor e líder do Ministério da Fé de Bahamas, Myles Munroe, e sua esposa Ruth morreram em acidente aéreo na tarde deste domingo nas Grand Bahamas.

No acidente, além do casal, morreram mais sete pessoas. Os Munroe deixam dois filhos: Charis Munroe e Myles Jr.

Segundo relatos, o avião particular do pastor se chocou com um grande guindaste de carga em um estaleiro das Bahamas e se despedaçou no pátio em frente. O Lear Jet 36 executivo fazia um curto trajeto entre Nassau (capital das Bahamas) e Freeport (a segunda maior cidade do arquipélago), onde o Myles Munroe organizava um evento sobre liderança com início marcado para  segunda-feira (10/11).

No mundo, seus parceiros incluíam Benny Himm, Murdock e outros expoentes da teologia da prosperidade.

A teologia de Munroe

 

Munroe colocava ênfase em suas palestras e livros sobre o Reino de Deus e defendia uma escatologia pós milenista, em versão um tanto heterodoxa,  que promovia  o caminho da construção neste tempo de um reino de paz e amor universal, um paraíso na terra, mas em um contexto triunfalista, aos moldas da teologia da prosperidade.  

Outros dois  pontos polêmicos dos  ensinos  de Munroe incluíam: (1) uma compreensão de inspiração novaerista propondo a divisão da pessoa do Senhor entre Cristo e Jesus. Em seu livro "como compreender seu potencial", o autor escreveu:

 "Jesus foi a manifestação humana do Cristo celestial" e "Quando queremos encontrar Cristo, Deus nos mostrará a Igreja. Entretanto, nós não podemos aceitar isso, porque acreditamos que Cristo está no céu. Não, ele não está. Jesus está no céu". 

A sã doutrina é que em Cristo há uma só pessoa com duas naturezas: a divina e a humana.

E fez a defesa de uma heresia Mórmom acerca da existência humana:

"Nós sempre existimos. No estado anterior, éramos invisíveis, mas mesmo assim já existíamos". 

1Coríntios 15:46 refuta esta crença e deixa claro que a existência do homem é primeiro natural; depois  espiritual".

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

ANDRESSA URACH VIU A "ALMA DA MORTE", QUER SER PASTORA, MAS CONTINUARÁ FICANDO PELADA.

O portal  MSN publicou uma noticia no mínimo interessante. 

Apresentadora afirmou que quer “aprender mais e evangelizar”

Se recuperando de uma bactéria na perna e depois de sofrer com complicações devido a aplicações de hidrogel no corpo, Andressa Urach afirmou que a experiência fez com que ela repensasse sua vida.
"Quero aprender mais e evangelizar. No futuro, quero ser uma pastora”, disse no programa “Muito Show”, da RedeTV!.
A apresentadora afirmou que os momentos em que esteve no hospital foram transformadores. "Tive uma experiência com Deus que só Ele e eu sabemos o que foi. Aquela Andressa morreu dia 30 de novembro e nasceu dia 3 de dezembro."
A moça, no entanto, garantiu que não deixará de fazer trabalhos artísticos após a experiência. "Se precisar ficarei pelada com pintura no corpo, farei ensaios de lingerie, presenças VIP... Tudo para sustentar minha família. Não estou me prostituindo, é um trabalho honrado."

No Globo.com está dito que ela também viu a "alma da morte", o que é isso? Não me perguntem, não sei:

 “No hospital vi espíritos da morte querendo levar a minha alma. Eram a alma da morte. Eles me rondavam porque queriam a minha alma de qualquer jeito. Isso tudo porque eu não agradeci a Deus. Foi a fé da minha mãe, que foi um elo com Deus, que fez com que as almas fossem embora. Eu estava perturbada. Eram almas feito nuvens escuras. Me davam um sentimento de medo e faziam barulhos assustadores como espíritos sofredores. Pareciam vultos escuros como se fossem fumaças. O vulto mais forte deles era um bem escuro que passava dentro do meu corpo. Pedi para suspenderem a morfina porque eles achavam que era ela que me fazia delirar. Mas eu acredito nessa coisa de espírito e achava que a substância me deixava entre esses dois mundos. Minha mãe chamou pastores que rezaram por mim. Os médicos retiraram a morfina e as visões pararam"

O que você acha, ela viu a "alma da morte"? Ou como afirma "estava perturbada?" Na mesma entrevista ela solta a seguinte pérola:

"Fiz striptease por cachês muito bons. Fiz, sim. Mas ali eu te digo: não foi pecado porque não estava vendendo meu corpo para o sexo. Era um show que famosas como Gretchen fazem. Eu era uma profissional que foi contratada pra ficar seminua e dançar. Foi um trabalho. Não era uma prostituição".

 Alguém duvida que aqui nessa "casa de Noca" ela será pastora, ficará famosa e terá muitos seguidores? eu não.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
NÃO PARE AQUI VÁ PARA OS TEXTOS MAIS ANTIGOS.