EI VOCÊ VENHA SEGUIR TAMBÉM!

PARA ACHAR UM ASSUNTO ESCREVA A PALAVRA AQUI

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

EDUARDO CUNHA E ASSEMBLÉIA DE DEUS MADUREIRA NA MIRA DA JUSTIÇA

A essas alturas Eduardo deve estar rezando
As empresas com nome de igreja faz tempo se alastram pelo Brasil. De quando em vez uma ou outra cai nas malhas da justiça. É roubo, é charlatanismo, é opressão aos fiéis incautos. Seus lideres cada vez enricam mais, seus fiéis cada vez mais enganados. De novo toma os jornais o nome de mais uma dessas empresas envolvida com ladroagem. A notícia segue abaixo:

"A Igreja Evangélica Assembleia de Deus intermediou o recebimento de pelo menos R$ 250 mil em propinas ao presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), em 2012. A acusação foi feita pela PGR (Procuradoria Geral da República) e está na denúncia feita nesta quinta-feira (20) contra Cunha ao STF (Supremo Tribunal Federal). O dinheiro seria referente a propina do esquema investigado pela operação Lava Jato.
A PGR denunciou Eduardo Cunha e prefeita da cidade fluminense de Rio Bonito, Solange Almeida (PMDB), por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ele é acusado de ter pedido e aceitado o pagamento de US$ 5 milhões em propinas referentes a contratos da Samsung com a Petrobras.
De acordo com a denúncia da PGR, Fernando Soares orientou o lobista Júlio Camargo, responsável pelo pagamento de propinas a Eduardo Cunha, para que ele efetuasse o pagamento de R$ 250 mil a deputado por meio de depósitos feitos na conta da Igreja Evangélica Assembleia de Deus.
"Soares teria alertado que pessoas dessa igreja iriam entrar em contato com o declarante [Júlio Camargo].Representantes da igreja procuraram Júlio Camargo e informaram os dados bancários da Igreja Evangélica Assembleia de Deus," diz o texto.
Depois desse contato, empresas de fachada operadas por Júlio Camargo teriam feito três depósitos na conta da Igreja no dia 31 de agosto de 2012. Segundo a denúncia, a justificativa dada pelas empresas para os depósitos foi "pagamento a fornecedores".
Trecho da denúncia
A PGR diz que "não há dúvidas" de que as transferências foram feitas por indicação de Cunha e para o pagamento de parte dos US$ 5 milhões em propina que teria pedido a Júlio Camargo.
Ainda de acordo com a PGR, a ligação entre Eduardo Cunha e líderes da Igreja Evangélica Assembleia de Deus é "notória". Cunha é declaradamente evangélico.
"O diretor da referida Igreja perante a Receita Federal é Samuel Cássio Ferreira, irmão de Abner Ferreira, pastor da Igreja Assembleia de Deus Madureira, no Rio de Janeiro, que o denunciado [Cunha] frequenta", afirmou."
 ______________________________

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
NÃO PARE AQUI VÁ PARA OS TEXTOS MAIS ANTIGOS.