EI VOCÊ VENHA SEGUIR TAMBÉM!

PARA ACHAR UM ASSUNTO ESCREVA A PALAVRA AQUI

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

O FUNDAMENTO DA IGREJA


O FUNDAMENTO DA IGREJA

Joelson Gomes

Texto base: 1Pd. 2.1-10

Texto áureo: Porque ninguém pode lançar outro fundamento , além do que já foi posto, o qual é Jesus Cristo” (1Co. 3.11).

Objetivo da lição: Ao término da lição o aluno deverá apontar quem é o fundamento da Igreja na doutrina Católico Romana, demonstrar qual é esse fundamento para os Protestantes, e indentificar a base bíblica para Cristo como o fundamento.

Biblia na semana:

Seg. Ef. 15-23;
Ter.Ef. 2. 11-22;
Qua. Ap. 1. 9-20;
Qui.Cl. 1.13-23;
Sex.1Co. 3.1-9;
Sáb.Ef. 4.10-16;
Dom.Mc. 9. 33-37.


INTRODUÇÃO:

A Igreja é apresentada na Bíblia como um edificio,  uma construção viva, e toda construção tem um fundamento. Então, qual seria o fundamento da Igreja?
A Igreja Romana papal responderia esta pergunta citando Mt. 16.18 e dizendo que o apóstolo Pedro foi colocado por Jesus como o fundamento, e foi sobre ele que a Igreja foi edificada. As igrejas Protestantes seriam frontalmente contra este tipo de resposta, e diriam que não sobre Pedro, mas sobre sí Jesus teria edificado a Igreja. Temos aqui duas opiniões contrárias, qual das duas é mais digna de crédito? O objetivo desta lição é justamente esclarecer isso. Vamos investigar o texto bíblico, inclusive as palavras do próprio Pedro, e assim responder nossas dúvidas. Portanto, ache sua Bíblia e mãos à obra.


I-                   O fundamento para a Igreja Romana.

a)                 A doutrina oficial romana. A Igreja de Roma no seu Catecismo oficial apresenta o seguinte sobre o assunto:

No colégio dos Doze, Simão Pedro ocupa o primeiro lugar. Jesus confiou-lhe essa missão única. Graças a uma revelação vinda do Pai, Pedro havia confessado: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus Vivo” (Mt 16,16). Nosso Senhor lhe declara na ocasião: “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei minha Igreja, e as Portas do Inferno nunca prevalecerão contra ela” (Mt 16,18). Cristo, “pedra viva”, garante a sua igreja construída sobre Pedro a vitória sobre as potências da morte. Pedro, em razão da fé por ele confessada, permanecerá como a rocha inabalável da Igreja (Catecismo da Igreja Católica, art. 3, §3, n° 552. Ver também 553).

b)       Pedro o fundamento e o Papa sucessor. A Igreja Romana também afirma que Pedro tem uma autoridade especifica recebida de Cristo. Para os teólogos papais Pedro teria recebido o “poder das chaves”, e com isso recebeu autoridade para governar a casa de Deus. Pedro foi constituido a pedra da Igreja, seu fundamento, o Papa por sua vez é entendido como sucessor dele, e por isso, possui hoje um poder supremo e universal, e exerce este poder livremente (Ver Catecismo da Igreja Católica, art.9, §4, n°s 880-883).

Esta é em rápidas palavras a doutrina oficial da Igreja Romana sobre o fundamento da Igreja, Pedro é colocado neste lugar. Mas, tem o outro lado da moéda.


II-                O fundamento para a Igreja Protestante

As Igrejas Protestantes têm um outro modo de ver esta questão, não encontram no texto bíblico base para colocar Pedro como o fundamento da Igreja. Vamos lançar mão de alguns testemunhos dos reformadores, que estão na origem dos protestantes para provar o fato.

a)                 Martinho Lutero. O reformador alemão ao abordar este fato, comentando Mt. 16.18 diz:

...todos os cristãos são pedros em virtude da confissão de Cristo que Pedro fez aqui; esta confissão é a rocha sobre a qual Pedro e todos os pedros estão edificados” (Citado por John Theodore Mueller em Dogmática Cristã, p. 513).

b)                 John Calvino. Este como sempre é mais sistemático do que Lutero, e dedica os primeiros capitulos do livro 4 de As Institutas da Religião Cristã para discutir esses casos referentes a Igreja. No capitulo 6 ele escreve:

Não são dignas de menção as ridiculas razões com que, desde o principio, quiseram enganar dizendo que a Igreja foi fundada sobre Pedro pelo fato de que lhe foi dito: “sobre essa pedra edificarei a minha Igreja”. Ajustificativa que apresentam é que alguns Pais deram essa interpretação; mas de que serve reivindicar a autoridade dos homens quando toda a Escritura diz o contrário? ... Porque discutir sobre o significado dessas palavras, como se fosse algo obscuro ou dúbio, quando nada poderia ser mais claro e definido? Pedro confessou, em seu nome e em nome dos irmãos, que Cristo é o Filho de Deus (Mt 16,16). Sobre essa pedra Cristo edifica sua Igreja, por ser Ele o único fundamento, como atesta Paulo (1Co 3,11), fora do qual nenhum outro colocar-se-á (Institutas, IV. 6.6).

            É claro por textos como esses, saídos da pena dos dois nomes mais importantes da época, que no tempo da Reforma o ensino sobre o fundamento da Igreja fazia Jesus Cristo ocupar esse lugar. Esse ensino está na origem do protestantismo. Os congregacionais na Declaração de Savoy  (1658) concordavam com isso, escreveram que o único Cabeça da Igreja era Cristo e não outra pessoa:

Não há outra Cabeça da Igreja senão o Senhor Jesus Cristo; nem pode o Papa de Roma, em qualquer sentido, ser a cabeça dela, senão que ele é aquele Anticristo, aquele homem do pecado e filho da perdição que se exalta na Igreja contra Cristo e contra tudo que se chama Deus, e a quem o Senhor aniquilará pelo resplendor de sua vinda (Declaração de Savoy, cap. XXVI, 4).

Não resta dúvida então qual é o ensino protestante original sobre quem é o fundamento da Igreja.

Pois bem, tendo visto como os dois grupos colocam suas posições vamos agora ao teste final.


III-             O fundamento da Igreja para a Escritura.

Nossa tarefa agora é voltar  os olhos para a Biblia e procurar como ela trata sobre o fundamento da Igreja, pois só as Escrituras devem ser a palavra final em questões doutrinárias, assim elas devem ser obedecidas digam o que disserem. Vamos assim olhar com cuidado esse assunto na Palavra de Deus.

a)                 Mateus 16.16-19. Este é o centro da discórdia, a quem Jesus está fazendo a pedra, o fundamento da Igreja, a Ele ou a Pedro? O erudito em grego A. T. Robertson, de quem ninguém duvida da competência, escreve comentando Mt. 16.18:

Qual é a pedra sobre a qual Cristo edificará o seu vasto templo? Não era só em Pedro. Por meio de sua confissão, Pedro fornece a pedra sobre a qual a igreja cristã firmará. Jesus edificará sobre o mesmo tipo de fé que Pedro confessou. Está garantida a perpetuidade dessa igreja geral (Comentário Mateus & Marcos à Luz do Novo Testamento Grego, pp. 187-188).

Note também o seguinte:

·         Jesus não poderia ter feito de Pedro o chefe porque ele não recebeu os privilégios sozinho, mas todos os outros apóstolos também receberam (Mt. 18.18);
·         Pedro não poderia ser o chefe porque os textos bíblicos mostram que ele era igual a todos os outros em autoridade: Paulo o repreendeu e ele aceitou a repreensão (Gl. 2. 7-14); foi enviado em missão pelos outros apóstolos de Jerusalém em At. 8. 14; na primeira assembleia da Igreja em Jerusalém quem dirige é Tiago e não ele (At. 6-21); e ele mesmo não se considerava maior, ou lider dos outros, mas igual a todos (1Pd. 5.1);
·         Diante de Cristo não tinha um chefe dos doze, mas todos sabiam que eram iguais, se não fosse assim a mãe de Tiago e João não teria pedido privilégios para seus filhos (Mt. 20. 20-28; Lc. 22.24);
·          Lc.22.24-26 mostra que os doze se consideravam iguais e não que tinham Pedro ou outro por chefe;
·         E por fim seria muito estranho que a pessoa sobre quem Jesus edificaria sua Igreja, logo mais na frente fosse chamado de Satanás (Mt. 16. 22-23). Não, Pedro não é o fundamento da Igreja.

b)                 Paulo e o fundamento. Observe que Paulo escreve várias vezes sobre o fundamento da Igreja, e em todas as vezes ele não hesita em dizer que o alicerce é Jesus Cristo (1Co. 3.11; Ef. 1. 22-23; 2.20-21; 4. 15-16; 5.23; Cl. 1.18; 2.10). É claro que para este apóstolo só tinha um fundamento e um Cabeça: Cristo.

c)                  O poder das chaves. Alegam alguns que Pedro é o fundamento porque foi distinguido por Cristo e recebeu o “poder das Chaves” que lhe davam o direito de ligar e desligar (Mt. 16. 19). Mas, que poder das chaves é esse? Será que os outros apostolos não tinham esse poder? Ou tinham? Sobre esse poder vemos que não só Pedro, mas também toda a Igreja o recebeu (Mt. 18.15-18). E para entender o que eram as chaves convém ler o seguinte:

Ai de vós, Escribas e Fariseus, hipócritas! porque fechais o reino dos céus diante dos homens; pois, vós não entrais, nem deixai entrar os que estão entrando (Mt. 23.13).

Ai de vós, interpretes da Lei! Porque tomastes as chaves da ciência; contudo, vós mesmos não entrates e impedistes os que estavam entrando (Lc. 11.52).

As chaves eram uma matáfora usada para o ensino, a pregação. Os mestres da Lei com seu ensino errado fechavam simbolicamente a porta da salvação para as pessoas. Pedro recebeu o privilégio de ser o primeiro pregador do evangelho aos judeus no dia de Pentecoste (At. 2. 14ss), e aos gentios na casa de Cornélio (At. 10. 11ss). Pois, é pela pregação que os céus são abertos, pois de nenhum outro jeito os homens são ligados ou desligados diante de Deus. A palavra que Pedro e os outros apóstolos anunciariam seria para uns cheiro de morte, e para outros cheiro de vida (2Co. 2.12-14), abriria ou fecharia o ceu para eles: era as chaves. É só a Palavra que abre e fecha a porta da salvação, liga o desliga o pecador ao ceu.

d)                 Pedro dá testemunho sobre a Pedra. Agora vamos ver as palavras do próprio Pedro, será que ele se considerava a Pedra? Lendo 1Pd. 2.1-10, fica claro que não. Ele sabia que só existia uma Pedra (At. 4.8-12), e essa Pedra era não era ele, era Jesus.


CONCLUSÃO

Devemos saber que a Igreja é do Senhor, é Ele o seu fundamento e Cabeça, e assim homem nenhum pode se arvorar em dono dela. Todo corpo quem tem um dono humano procurando fazer as suas vontades, seja ele pastor, oficial ou membro, não é Igreja de Deus; todo grupo que tem um alvo humano a seguir, não é a coluna e baluarte da verdade.
Sabemos que muitas igrejas locais padecem nas mãos de líderes sem escrúpulos, familias mal intencionadas, que usam a congregação para seus próprios fins, fazendo a mesma deixar de ser a Igreja de Deus, para ser sua.  Podemos com coragem e baseados em tudo que estudamos dizer que esse ajuntamento não pode se chamar igreja.
Sabedores da sublimidade da congregação dos santos, e de Quem é seu dono, procuremos nos portar como dignos membros dela, sem autoritarismos e ditaduras, ainda mais numa igreja Congregacional onde o principio da democracia deve ser patente. O fundamento e dono da Igreja é o Senhor, nunca esqueçamos disso.
Vimos que as Escrituras apontam sem sombra de dúvidas Quem é o único fundamento para a Igreja de Deus. Ele não comissionou ninguém nesse mundo com essa função, é apenas uma prerrogativa Sua. A Igreja descansa não sobre um homem, mas sobre o Deus Conosco, o Emanuel, e por isso as portas do Inferno não prevalecerão contra ela. Quem poderá alguma coisa contra a Raiz de Davi, o Leão de Judá?


Aprofundando:

1-      Quem o fundamento da Igreja para os Católicos Romanos?
2-      Quem é o fundamento da Igrejas para os Protestantes?
3-      Cite 5 motivos pelos quais Pedro não pode ser considerado o fundamento da Igreja.
4-      Quem manda em sua igreja?

_____________________
*Lição publicada na Revista: "Igreja Teologia e Prática" editada pela Aliança Congregacional, pedidos: alianca.b@hotmail.com (83- 3513-7791)

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
NÃO PARE AQUI VÁ PARA OS TEXTOS MAIS ANTIGOS.